Blog

O Poder da Aprendizagem Experiencial

Dez anos atrás, quando conheci a Educação Experiencial, fiquei boquiaberto e encantado ao ver a beleza e o resultado dos projetos nas instituições brasileiras. Desde então tenho acompanhado de perto a evolução e o desenvolvimento da aprendizagem experiencial em vários contexto; seja numa escola, empresa, grupo religioso, comunidades locais, etc. Ao participar de alguns projetos, pude perceber que a aprendizagem experiencial - apesar de ser conhecida e aplicada há anos no Brasil -  ainda carece de um fortalecimento da consciência da sua aplicação para educar as pessoas pela experiência. E dentro desta visão de fortalecimento, acredito ser importante o resgate da forma como hoje educamos nossas crianças, jovens e adultos. Estamos, então, falando da relação entre a força da Pedagogia e da Andragogia.

E mais do que isso, podemos pensar sobre como é a cultura de aprendizagem no nosso país. Durante os últimos 5 anos, percebi uma forte ligação entre a aprendizagem do aluno na escola e na faculdade/universidade. Algumas pessoas podem achar que é difícil imaginar uma conexão entre o 1º ano do Ensino Fundamental e o 1º ano do Ensino Superior, mas a relação é óbvia na forma mais elementar e instintiva do aprendizado: o poder da experiência, do aprender fazendo. E proporcionar a experiência não é o mesmo que fornecer/transmitir informações. Tal experiência deve ser seguida de uma reflexão e direcionada para uma aplicação na prática. Desta forma, conseguimos potencializar o nível de absorção da informação que posteriormente se transforma em conhecimento.

O mundo mudou, as relações mudaram, e a forma de ensinar e aprender também precisa mudar. Faz-se necessário pensar sobre novos métodos, meios, formas e tecnologias que favoreçam este aprendizado e gerem efetivamente resultados sustentáveis no meio onde o indivíduo atua. Penso que as escolas - em todos os níveis - devem permitir que professores criem oportunidades para que os alunos pratiquem a aprendizagem experiencial - um modelo que de certa forma é crítico para um mundo em constante mudança acelerada. Seus resultados não podem ser capturados por testes padronizados, até porque a educação experiencial se encontra em oposição ao "ensino padronizado", porque no seu núcleo, o que conta são inovação e invenção.

Quer saber mais sobre a Educação Experiencial? O Arvorecer Centro de Eventos, em parceria com a Newman Educação Corporativa, empresa do Grupo Arvorecer, apresentará uma série de artigos e materiais sobre o poder da aprendizagem experiencial a fim de proporcionar não só reflexões, mas ações que possam contribuir com o meio onde atuamos. Esperamos, com isso, constuir uma nova consciência de "Transformar as pessoas pela Educação e transformar a Educação pelas pessoas" (Manifesto Afferolab 2015).

Por Mozart Clemente S. Júnior, sócio-diretor do Grupo Arvorecer, Consultor em Treinamento e Desenvolvimento, especialista em Educação Experiencial, Consultor DISC pela Etalent.

 

O impacto dos eventos religiosos na relação do par...
Por que a identidade visual do seu evento corporat...

Posts Relacionados

Comentários

 
Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Login Aqui
Visitantes
Terça, 17 Outubro 2017